sexta-feira, dezembro 29, 2006

Adeus 2006, Olá 2007

A pedido de muitissimas familias (e tendo em especial consideração pelas focas que por aqui passam que como todos sabemos reproduzem-se que nem girinos) cá estou eu, e apenas eu, que a minha sócia é óptima para mandar e péssima a obedecer, a fazer um último balanço ao ano que acaba, e uma previsão do que será o ano que vai começar.

Basicamente, 2006 foi, para mim, um ano levado da breca. Após uma vida já longa sem nunca ter metido os pés num cabeleireiro, estreei-me e a coisa correu mal. Pensei que com um mau corte de cabelo logo ali nos finais de Janeiro a coisa (isto é, o ano que ali começava) só podia correr pelo pior. Depois em Fevereiro, esqueci-me dessa paneleirice a que chamam o Dia dos Namorados e vi-me com os meus tarecos à porta a ser ameaçada de ser trocada por alguém ainda mais bonita que eu, mais ruiva que eu, e mais rica que eu (tarefa assaz complicada para o rapaz mas ele lá sabe da fauna que prolifera por aí). Felizmente, resolvi a cena com a oferta de um Kit Sócio do S.L.B e o amor voltou a pairar naquela casa. Março, ora Março…..não me recordo de patavina que tenha acontecido de importante em Março a não ser o aniversário de um caramelo que decidiu moer-me os miolos com o súbito desejo de ter um labrador amarelo. Abril é um dos meus meses preferidos porque começalogo com o dia do aldrabanço e eh pá! O que eu DESBUNDO um bom aldrabanço!! Não me recordo também qual foi a mentira de Abril passado mas também não interessa. Maio. Maio foi bom. Vá se lá saber porquê, mas deve ter sido bom. Em Junho envelheci um ano por isso não curti nada Junho. Em Julho passou-se qualquer coisa muito especial mas não me recordo assim de repente o que foi…em Agosto fui de férias por isso Agosto é o mês mais bonito de todos os outros. E MEUS AMIGOS, chegámos ao mês mais complicado do ano. O filha da puta do Setembro que desde o dia um ao dia 19 é preenchido pelo aniversário de 19 pessoas absolutamente indispensáveis à minha vida. Muito bonito muito bonito, mas depois do descalabro financeiro que são as férias, ter 19 presentes para oferecer assim em filinha indiana, é no mínimo uma gandassissima noia. Outubro, casa nova e mais não digo. Novembro também foi marcado por algum acontecimento paranormal mas francamente (e apesar de ter sido apenas há um mês) não me lembro qual foi. E chegamos onde estamos. A um Dezembro que nos presenteia com a morte do James Brown (esse ganda pedófilo para quem não sabe) e com a muito divulgada cirrose do Rodolfo. A ele a os meus sinceros votos de rápidas melhoras. Gosto de Dezembro. Não me lembro se há alguma razão para gostar, mas lá está, nem tudo nesta vida se justifica.
Agora 2007!!
7 é o meu numero preferido por isso tenho este ano que vai começar nas mais altas expectativas. Quero que 2007 me dê um bebé lindo como a mãe e charmoso como o pai. E fica, desde já a promessa, que se 2007 cumprir com a minha prece, no Natal do próximo ano tem um presentinho só para ele no topo da chaminé.
Acredito que um ano que se inicia com o enforcamento do Saddam só pode ser um ano muitíssimo promissor.
Quem não concordar comigo, que se manifeste. Quem concordar, que se manifeste tambem porque isto sem vocês nao tem piadinha nenhuma.
(a frase nao é minha, eu sei, mas nao me lembro de quem é. Ao autor, os meus pêsames pela autoria de frase tão infeliz)
ao nosso vasto auditório um bom ano.

segunda-feira, julho 10, 2006

A Máfia do Mundial

bem...
Estou triste. Acabou-se a bola e com a bola acabaram-se as conversas de ir à peidola, sobre faltas, golos, penaltis, e cabeçadas. De que vamos falar a partir de hoje, senhores?!!

Eu já estava tããããão entrosada nesta coisa do futebol que até já sei o que é um fora de jogo!! Mas não é só isto!! Já meti na minha cabecita que cada equipa, tem 11 jogadores, há um que é capitão, um que guarda a baliza e normalmente é feio que dói. Há os avançados, os ponta de lança, os médio-defensivos, os defesas laterias, e mais não sei quê. Continuo a lamentar profundamente que não se cultive cá a moda das Cheer-Leaders com os seus pom-poms fluorescentes e as cuecas sloggi a cantarem e pularem em acrobáticas manifestações de apoio!! Caramba!! Não me digam que se o Pauleta não vislumbrasse umas cuequitas de quando em vez ou mesmo uma nádega mais atrevida, se sentisse muitíssimo mais inspirado e não teria feito a figura de espargo fora de prazo que fez neste Mundial?

Que se o Ricardo, lá do alto da sua baliza, com as mamocas das meninas em delírio por ele, não tivesse defendido 5 em vez dos 3 penaltis (não teria feito grande diferença, mas já agora, era nice!)?

Voltando à conversa séria. É sempre assim, quando eu começo a dominar o tema e a mandar umas bujardas para o ar, a coisa acaba. Daqui a 2 anos no Euro2008 foi ter que fazer uma pré-reciclagem pois já me esqueci de tudo outra vez. É cíclico. O Mundial devia ser todos os dias. Para bem da nação que se esquece das prestações ao banco, das férias que não vai ter, do marido que bate, da mulher que trai, dos filhos que berram e se mascaram de melancias ambulantes, com as cores da nação e da fruta citada e não têm a mínima vergonha de sair assim à rua. Haja dó.

Gostaria de aprofundar a questão das Cheer- Leaders. Elas fariam toda a diferença! Ora topem lá, imaginem as meninas em coro:

P (pê)
A (á)
U (ú)
L (ele)
E (é)
T (tê)
A (á)

Marca um golo já já já!!

D (ê)
E (é)
C (cê)
O (ó)

Acorda senão amandamos-te cocó!


S (esse)
C (cê)
O (ó)
L (ele)
A (á)
R (erre)
I (í)

Mete o Gomes pró penaltiiiiiiii!

Eu percebo da coisa. Com uma beca de sorte serei a impulsionadora da actividade e ainda enriqueço à pala das gajas!!

;o)

quinta-feira, junho 08, 2006

Desejo

Não sei como isto me veio parar ás mãos, mas achei lindissimo.
De início, parece seco, mas bem visto, acabei por achar que no fundo e sem lamechas,
desejaria tudo isto aos meus filhos...

Aqui vai....


Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.

Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconsequentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.

E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exacta para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outros sim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afectos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.

E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar.


Victor Hugo & As Tormentas

quarta-feira, abril 19, 2006

Seria tão diferente...

Seria tão diferente
se os sonhos de que gostamos não terminassem tão de repente ...

Seria tão diferente
se os bons momentos da vida durassem eternamente ...

Seria tão diferente
se as pessoas de quem gostamos gostassem um pouco de nós...

Seria tão diferente
se quando nós chorassemos fosse só de contentamento ...

Seria tão diferente
se aquela de quem eu gosto sentisse o que eu sinto ...

Mas ... é tudo tão diferente
Os sonhos de que gostamos terminam tão de repente
Os bons momentos da vida não duram eternamente
As pessoas de que gostamos nem sempre gostam de nós
Das vezes que choramos, poucas são de contente
E as pessoas que nós amamos não sentem o mesmo por nós

Mas ... poderia ser tão diferente...

Não te parece???

sexta-feira, março 10, 2006

ele vai ser pediatra e eu fico feliz por ele.
Fica aqui a minha homenagem sentida ao Blog que mais arrepios me causa.
Força.

sexta-feira, fevereiro 24, 2006

Lembrança e Saudade

Podem parecer sinónimos,
Ideia igual, mas diferente no sentir.

Lembrança é da memória,
Saudade é da alma.

Lembranças surgem com um cheiro
uma música, uma palavra...

Saudade surge sózinha,
emerge do fundo do peito onde é guardada com carinho.

Lembrança pode ser boa, mas quando não é,
podemos afasta-la convocando outra lembrança,
outro pensamento para o lugar, ligando a televisão, lendo um livro...

Saudade é sempre boa, mesmo quando doi
e não se apaga mesmo quando outra pessoa tenta ocupar o lugar.
Ela pode coexistir com um novo amor, sem o machucar.

Lembrança é algo de real, de um lugar,
uma época, uma pessoa...

Saudade pode ser do que nunca houve,
de uma possibilidade, de lábios jamais tocados.

Lembrança pode ser contada, medida, localizada,
e com algum esforço, pode até ser calculada.

Saudade é dos poetas, é pautada em rimas e melodias.

Lembrança pode ser sem som, pode não doer.

Saudade jamais é sem som.
Se ela não vier com música de fundo, a gente coloca
só para ficar mais bonita, mais gostosa de sentir.

Lembrança vence a morte,
mas conforma-se com a ausência,
respeira convenções.

Saudade ignora a morte,
vence distâncias, barreiras e preconceitos.

Lembrança aceita o nosso comando,
vai e volta quando queremos.

Saudade é irreverente, independente
e auto suficiente.

Muitas Lembranças, poucas Saudades.

segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Somos Perfeitas !!!

Não ficamos carecas ...
Temos um dia internacional ...
Sentar de perna cruzada até fica bem e não doi ...
Podemos usar tanto rosa como azul ...
Sabemos sempre que o filho é nosso
Temos prioridade em botes salva-vidas ...
Não pagamos a conta. No máximo dividimos ...
Somos os primeiros reféns a serem libertados ...
A idade não atrapalha o nosso desempenho sexual ...
Podemos ir para o trabalho de bermudas e sandálias ...
Se somos traídas, somos vítimas; se traímos, eles são cornos ...
Podemos dormir com uma amiga sem sermos chamadas de lésbicas ...
Somos capazes de prestar atenção em várias coisas ao mesmo tempo ...
Mulher de embaixador é embaixatriz, marido de embaixadora não é nada ...
Mulher de presidente é Primeira Dama; marido de Presidenta é um zero á esquerda, mesmo que seja de direita ...
Se resolvermos exercer profissões predominantemente masculinas, somos pioneiras, se um homem resolver exercer um profissão tipicamente feminina, é bicha ...

E por último: Fazemos tudo o que um homem faz, e de SALTO ALTO !

SOMOS O MÁXIMO !!!!!!